sábado, 5 de março de 2016

Tipo niguiri de atum

Fazer coisas que sejam "tipo coisas", gosto muito.

Desta vez saiu assim, delicioso e ainda por cima, lindo para a foto! :)


Como assim? Simples assim:
- atum fresco
- wasabi
- pão bom*
- manga bem madura
- rúcula selvagem, estaladiça
- molho de soja
- pimenta no moínho
- cebolinho fresco picado
- sementes de soja

Atum cortado transversalmente às lascas com a forma pretendida, e marinado brevemente em molho de soja, aqui com atenção para não usar muito molho, umas gotinhas bastam, por vários motivos:
- queremos o atum a saber a ele mesmo e não a molho de soja, 
- queremos o atum com a sua cor maravilhosa, e por fim,
- não queremos um shot de sal... 

O pão, usei um pão de sementes com chia (também sementes) da marca Auchan, ... este pão é fofinho e ligeiramente doce, o que para o caso o tornou perfeito. Cortei em palitos. (mais sobre o pão no final da receita)

Pasta de wasabi em cima, barrada.


 Manga maduríssima, pouco fibrosa, para não vir toda atrás a cada dentada... cortada à medida, em cima do pão.


Belíssima rúcula em cima da manga, também aparada por motivos práticos (do comer) e estéticos (do comer).


Finalmente, simples assim, atum escorrido da marinada, que na verdade, sendo tão pouco molho de soja foi todo absorvido, em cima da rúcula, temperado e enfeitado com pimenta moída na hora, cebolinho e sementes de girassol... ficou assim:


Fui pensando nisto à medida que ia fazendo, com o que tinha em casa, mas o resultado final ficou tão delicioso que entrou directamente para o top das entradinhas boas bonitas e saudáveis cá de casa! :)


* sobre o "pão bom", ... é quase motivo para outro post, ou talvez para um post numa outra página, mas fica aqui a dica rápida: um pão bom é um pão que se aproxima muito de 10g de proteína e 10g de fibra por cada 100g de pão. O pão, como as outras coisas, prefiro comprar ou artesanal, em que a ausência de rótulo é compensada pelos sabores/texturas/histórias que os outros não têm, ou pelo rótulo... era isto. :) 

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Amburgas de foie com esmagada de batata doce e salada

Coisas simples, e deliciosas.


- carne picada
- terrina de foie ( /paté bom) 

- batata doce
- manteiga
- pimenta preta no moinho
- sal grosso

- salada lavada
- vinagre balsamico
- açucar
- azeite

Preparar umas tostas com metade do foie, para acompanharem o vinho já aberto enquanto se prepara o resto da refeição.



Batata doce a cozer com casca, é ond'estão as vitaminas! :), partida em pedaços para acelerar a cozida

Carne picada (só uma passagem) misturada com o restante foie, sal e pimenta, moldada em forma de amburga e descansada meia hora no frigorifico, para ganhar forma.

Batata esmagada com manteiga, sal e pimenta, reservar quente.

Azeite na sertã, até fumegar, amburgas para dentro, selar dos dois lados.

Salada na saladeira, dose generosa de vinagre, pitada de açucar, pitada de sal, azeite, misturar bem.


Servir, apreciar a companhia, ... e é isto.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Bruschetta d'ovas

Bem, ... não é bem uma bruschetta, foi mais uma bruschettona, afinal, tinha de servir como jantar, ...



Adoro ovas, peixe, mas sem espinhas, a textura, o valor nutricional, ... é tudo de muito bom! :) ovas grelhadas, comi há tempos como petisco, e que petisco. Maneiras que fiz assim:

Uma cabeça de alho pequenina, descascada e cortada, coentros cortados grosseiramente. Couve galega, ou couve mineira, conforme o país, a saltear com azeite, metade do alho e sal. Uma fatia de pão de centeio e espelta na torradeira, grelha untada para qu'as ovas não colem, ovas a grelhar, Pronto.

Pão no prato, couve, ovas, limão, azeite, alho, coentros, sal e pimenta branca... é isto.


Cotovelos com farinheira e...

Jantar para dois, sair ou não de casa, decisão: ficar em casa, fazer o que dá com o qu'houver! :)

Acabou por dar nisto:




O qu'havia:
- meio pacote de cotovelinhos;
- uma farinheira alentejana
- um restinho de coentros
- queijo da ilha durérrimo
- azeite virgem extra, pimenta branca no moinho, alho que pó (que uma vez comprado, é bom que se utilize...)

Forno a aquecer, água a ferver, cotovelos para a panela, com um fio de azeite, sal e duas folhinhas de louro.

Entretanto, ralar queijo da ilha, abrir e esfarelar uma farinheira, picar os coentros, e esperar pela massa, oportunidade para abrir e deixar respirar um vinho.

Massa al dente, escorrida e arrefecida, de volta para a panela, azeite para dentro, alho em pó, sem medo, e tudo muito bem envolvido.

Cotovelos para dentro da tijela de ir ao forno, coentros espalhados por cima, camada fininha de queijo ralado, farinheira, e pimenta branca moída por cima, ... forno para fazer suar e derreter a farinheira até estar assim...


Retirar do forno, tirar (mais) uma foto, já na mesa...


... e disfrutar.



quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

le vrai tartare

O verdadeiro tártaro, ...


Há muito que faço este prato, e volto sempre à mesma receita, ao mesmo vídeo, cada vez mais difícil de encontrar online dado o boom diário de informação (está gravado nos favoritos, mas mesmo aí cada vez mais dificil d'encontrar...).

Maneiras que vamos lá:
- Carne moída (1 vez só, para não ficar uma papa, pode ser qualquer corte, desta vez foi traseiro)
- mostarda, daquela que disponibilizam para a bela bifana, normal, tipo savora.
- ketchup (idem)
- mostarda de dijon
- molho inglês
- sal (usei grosso, rústico, gosto das pedrinhas)
- pimenta branca, moída na hora
- azeite com malaguetas (caseiro, malaguetas cortadas, azeite e um tiquinho de cachaça, repousado uns meses ou infundido, na receita do vídeo é tabasco + óleo de amendoim, ... não senti a falta)
- gema(s) de ovo(s)
- cebola picada fininha, não esmagada
- alho picado muito miudinho (esta é inovação, e é para quem gosta e aguenta o alho cru)
- alcaparras inteiras, escorridas sem amassar (desta vez a excitação era tanta qu'até esqueci! ficou ótimo à mesma)

e é isto, tudo numa malga, a olho, misturadinho e envolvido. no final, deve estar untoso (adoro a palavra).

acompanhou uma salada de rúcula selvagem (muito vinagre balsâmico, mel e sal) e umas batatas de pacote, ... mas das gourmet, que o jantar era à luz das velas e mesmo com comida fria o jantar queria-se aconchegante e de extremo nível! :)


E, ... é isto, simples assim! :)

sábado, 13 de dezembro de 2014

linguini com tofu al aglio & olio coentrado

Jantar simples, prático, e rápido.



Algumas coisas em casa entr'as quais:
- linguini
- alhos
- azeite
- naco de tofu
- coentros frescos
- sal e pimenta

Massa a cozer como diz no pacote, sertã ao lado a aquecer azeite. Uma cabecinha d'alho descascad'e cortada grosseiramente, alho na sertã, naco de tofu em cubos, sertã, fogo alto. 

Abrir o vinho e provar, enquanto se salteia o tofu no aglio & olio.

Por a mesa, computador ligado, skype a carregar, escorrer a massa, juntar o conteudo da sertã, e os coentros, entretanto picados grosseiramente, tapar bem, agitar muito e bem, garantindo que a tampa não salta (e isto não é só um pormenor e não o escrevo por acaso... :D ), regar com um fiozinho de azeite cru (o sabor é outro nível) sal grosso e pimenta moída na hora.

Tirar fotinhas para ilustrar este registo, aproveitar o momento e a refeição.


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Scourgetti aglio olio



Mania, ... :) das coisas "saudáveis"... :) vi há tempos uma foto que me passou a tirar o sono desd'então, ... a foto era esta:



E, ... a verdade é que não descansei enquanto não comprei uma maquininha como a utilizada para esta receita, ... 

Hoje, no próprio dia, utilizei a máquina e voltei ao blog! :)

A receita de estreia é do mais simples que há:
1 curgete, "esparguetada"
alhos
pimenta
sal
azeite

Azeite na sertã, lume forte, alhos para dentro, curgete para dentro, pimenta preta, lume forte, umas viradelas, e sal, só ao fim para não passar o tempo todo a "chupar" água para fora da curgete.


E, ... para quem não acha bem que a massa seja partida, nem na hora de comer, ... boa sorte:


Feliz por voltar ao blog, ... Zé.